Arquivo da tag: AL

Entremeios Especial | Programação do Festival do Júri Popular

 

 

 

14/02 – Segunda – 19h MOSTRA HORS-CONCOURS

________________________________________

 

FESTIVAL EM FOCO – Mostra de Cinema de Tiradentes e alguns vencedores de seu Voto Popular

“A invenção da infância” (2000), de Liliana Sulzbach, RS – Vencedor Melhor 35mm em 2001

“Eletrodoméstica” (2005), de Kleber Mendonça Filho, PE – Vencedor Melhor 35mm em 2006

“Onde andará Petrúcio Felker?” (2001), de Allan Sieber, RJ – Vencedor Melhor 35mm em 2002

“Vida Maria” (2006), de Márcio Ramos, CE – Vencedor Melhor 35mm em 2007

 

15/02  – Terça – 19h COMPETITIVA 1

________________________________________

 

“A dama do Peixoto”, de Douglas Soares e Allan Ribeiro, RJ

“Amigos bizarros do Ricardinho”, de Augusto Canani, RS

“Angeli 24h”, de Beth Formaggini, RJ

“Contagem”, de Gabriel Martins e Maurilio Martins, MG

“Só mais um filme de amor”, de Aurélio Aragão, RJ

 

16/02 – Quarta – 19h COMPETITIVA 2

________________________________________

 

“147”, de Marcelo Tannure, MG

“A noite por testemunha”, de Bruno Torres, DF

“Ela veio me ver”, de Essi Rafael, MS

“Geral”, de Anna Azevedo, RJ

“Izamara”, de Diogo Hayashi, SP

“O som do tempo”, de Petrus Carury, CE

“Tempestade”, de Cesar Cabral, SP

 

17/02  – Quinta – 19h COMPETITIVA 3

________________________________________

 

“A inventariante”, de Patrícia Francisco, SP

“Como é bonito o elefante”, de Lucas Barbi & Juruna Mallon, RJ

“Fantasmas”, de André Novais Oliveira, MG

“Garoto de aluguel”, de Tarcísio Lara Puiati, RJ

“Haruo Ohara”, de Rodrigo Grota, PR

“Peixe pequeno”, de Vincent Carelli e Altair Paixão, PE

“Recife frio”, de Kleber Mendonça Filho, PE

 

18/02 – Sexta – 19h COMPETITIVA 4

________________________________________

 

“Eu não quero voltar sozinho”, de Daniel Ribeiro, SP

“Fábula das três avós”, de Daniel Turini, SP

“Formigas”, de Caroline Fioratti, SP

“Intervalo”, de Alexandre Rafael Garcia, PR

“Mídia obsoleta”, de André Sicuro, RJ

“Nalu”, de Stefano Capuzzi Lapietra, SP

“Raz”, de André Lavaquial, RJ

“Transcomunicação”, de Arthur Tuoto, SP

 

19/02 – Sábado – 19h COMPETITIVA 5

________________________________________

 

“As aventuras de Paulo Bruscky”, de Gabriel Mascaro, PE

“Bailão”, de Marcelo Caetano, SP

“Caos”, de Fábio Baldo, SP

“Instantâneos”, de Andrea Capella, RJ

“O solitário ataque de Vorgon”, de Caio D’Andrea, SP

“Ratão”, de Santiago Dellape, DF

 

20/02 – Domingo – 19h COMPETITIVA 6

________________________________________

 

“7 voltas”, de Rogerio Nunes, SP

“Balanços e milkshakes”, de Erick Ricco e Fernando Mendes, MG

“Carreto”, de Marília Hughes e Cláudio Marques, BA

“O diário da Terra”, de Diogo Viegas, RJ

“Ensolarado”, de Ricardo Targino, RJ

“O plantador de quiabos”, de Coletivo Santa Madeira, SP

“Orquestra do som cego”, de Lucas Gervilla, SP

“Verão”, Thiago Pedroso e Hiro Ishikawa, SP

 

Entrada Gratuita

www.festivaldojuripopular.com.br


Cine SESI – Centro Cultural SESI. Maceió-AL

Av. Dr. Antônio Gouveia, 1113, Pajuçara.

 

______________________________

Caso não queira receber o boletim entremeios, por favor nos responda informando.

 

Anúncios
Etiquetado , , , , ,

Panorama do Cinema Alagoano

A Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas de Alagoas tem imensa alegria em convidar e compartilhar com todos sobre o lançamento da 2ª edição do Panorama do Cinema Alagoano de Elinaldo Barros.
A noite do dia 06 de agosto é uma homenagem e conquista do cinema alagoano. O homenageado é Elinaldo Barros, crítico de cinema, professor e cinéfilo, um grande pesquisador e divulgador do cinema alagoano e brasileiro.
Após 27 anos, Panorama do Cinema Alagoano ganha uma 2ª edição revista e atualizada. Contendo as realizações alagoanas desde o pioneiro o italiano Guilherme Rogato, passando pelas realizações que competiram no Festival de Cinema de Penedo, aborda os filmes recentes independentes e os realizados através de editais.
Na noite de lançamento do livro, também será lançado o documentário “O catador de fotogramas”, de Pedro da Rocha, sobre Elinaldo.

SERVIÇO:
Lançamento da 2ª edição de Panorama do Cinema Alagoano.
Programação extra: exibição do documentário “O catador de fotogramas”, de Pedro da Rocha

Dia 06 de agosto de 2010 Cine Sesi – Centro Cultural SESI, às 20hAv. Dr. Antônio Gouveia, nº 1113. Pajuçara. Maceió-AL

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Prêmio de Incentivo à Produção Audiovisual em Alagoas

EDITAL DE PRÊMIO DE INCENTIVO À PRODUÇÃO AUDIOVISUAL EM ALAGOAS

Secretaria de Estado da Cultura, por intermédio do Programa Olhar Brasil – Núcleo de Produção Digital de Alagoas, TORNA PÚBLICO que estão abertas as inscrições para o PRÊMIO DE INCENTIVO À PRODUÇÃO AUDIOVISUAL EM ALAGOAS, no período de 14 de maio a 30 de junho de 2010.

Baixar o edital

http://www.cultura.al.gov.br

Você também não está acreditando ao ler essas palavras? Finalmente podemos dizer que existe incentivo a produção local audiovisual em Alagoas. Porque apoio a produção audiovisual o Estado vez ou outra realizava, principalmente se viesse algum diretor famoso filmar por estas bandas.

Resta divulgar.

Desejar que muitos tomem a iniciativa de inscrever, formar grupos e repassar as infomações. E ainda mais cobrar, para que esse edital tenha muitas edições e para que uma lei de incentivo à cultura também possa ser possível. Precisamos usufruir dos nossos direitos e cumprir com os nossos deveres. Não adianta muito cruzar os braços e esperar.

Etiquetado , , , , , , , , ,

CONFERÊNCIA DE TEATRO – 14 a 17 de abril

I LIVRE CONFERÊNCIA DE TEATRO

http://conferenciadeteatroal.blogspot.com/


Há três anos os Grupos de Teatro de Alagoas se reúnem em um dia de dezembro para fazer o Chá da Tarde, ação proposta pela Cia do Chapéu e que a cada ano ganha mais parceiros e apoiadores, constituindo um momento de balanço anual da produção cênica alagoana. Comparado as edições anteriores, o último Chá obteve o maior número de participantes, onde debatemos assuntos pertinentes a qualquer um que busca desenvolver atividades culturais em nosso Estado.

Assim um dia ficou pouco para se falar tantos assuntos e estabelecer continuidade as questões levantadas. De dezembro do ano passado até agora foram realizadas reuniões sistemáticas entre os grupos, no intuito de mobilizar a classe e ter mais representação da categoria junto ao Ministério da Cultural, Secretaria de Estado da Cultura e prefeituras.

Nesse percurso a Livre Conferência de Teatro foi se definindo, com temas ligados a órgão públicos e também visando a união de forças para quem sabe num futuro próximo constituir uma Cooperativa de Teatro em Alagoas, estrutura já utilizada em outros Estados.

O objetivo é criar laços e mobilizar a classe artística alagoana, sendo um espaço de diálogos entre os que desenvolvem ações culturais, para que possamos pensar e agir principalmente sobre os aspectos de Desenvolvimento e Sustentabilidade do Teatro de Grupo em Alagoas, tema principal da I Livre Conferência de Teatro.

No dia 27 de março de 2010 (Dia Mundial de Teatro) foi realizado o ato IML – Isolamento Maceió Limitada, para tornar público a nossa opinião sobre as atuais políticas públicas de fomento a cultura. Contamos com o apoio dos artistas de audiovisual, que se tornaram nossos parceiros por compartilharem da mesma opinião e já confirmaram presença na conferência.

Segundo o Ministério da Cultura as Conferências Livres foram criadas para ampliar a participação dos diversos agentes culturais na Conferência Nacional de Cultura, um importante espaço de mobilização de grupos, entidades e participantes para as Conferências Estaduais, bem como de continuidade, aprofundamento e ampliação de suas discussões.

Todos são bem vindos para estabelecerem diálogos, os Órgãos Públicos já foram convidados, o Sindicato dos Artistas e Instituições Culturais. De 14 a 17 de abril, no Espaço Cultural da Ufal contamos com a participação do maior número possível de artistas.

Toda programação é gratuita, confira:


Quarta (14/04): 18h00 – Credenciamento

19h30 – Abertura
20h00 – Programação Cultural: Espetaculo Women´S – Grupo  (E)xperiência/Subterranea(SC)

Quinta (15/04): 14h00 – Demonstração de trabalho técnico “Corpo, risco e interpretação por estados” com o Grupo (E)xperiência/Subterranea (SC)
17h00 – Palestra “Teatro de grupo e processos criativos” com André Carreira (SC)
18h00 – Intervalo

18h30 – Painel: “II Conferência Nacional de Cultura/2010” com Udson Pinheiro (LATO) e Rogério Dias (Quintal cultural).
20h00 – Programação Cultural: Espetaculo Women´S – Grupo (E)xperiência/Subterranea(SC)

Sexta (16/04): 14h00 – Mesa Redonda: “Nossas Identidades” com Elizandra Lucca (REKA Cia de Teatro) e Ronaldo de Andrade (ATA)
Moderação: Mary Vaz
15h30 – Mesa Redonda: “Políticas Públicas para Teatro” com representantes das esferas: Estadual e Municipal; Robertson Costa (Cia. da Meia Noite) – Moderação Charlene Saad
17h30 – Intervalo
18h00 – Programação Cultural: Grupo BundaCanastra
19h00 – Mesa Redonda: “SATED/AL” com José Vieira (Presidente do Sindicato) e Elida Miranda (CUT-AL) – Moderação: David Farias
20h00 – Mesa Redonda: “Espaços de apresentações e ensaios” com representantes da Secult/AL, da FMAC, do SESC/AL, do SESI/AL e da UFAL.
Moderação: Jonathan Albuquerque

Sábado (17/04):
09h00 – Open Space (Discussão de temáticas diversas).
11h00 – “Proposta de Festival Local dos Grupos envolvidos na Conferência”

Moderação: Tácia Albuquerque

12h30 – Intervalo para almoço14h00 – Plenária Final – Moderação: Lais Lira

WOMEN’S

Espetáculo Teatral do Grupo (E)xperiência Subterrânea – SC

Texto: Daniel Veronose – Tradução e direção: André Carreira

Elenco: Ana Luiza Fortes e Lara Matos

Cruzando por áreas de humor uma faxineira que trabalha em um necrotério dialoga com seus fantasmas pessoais enquanto realiza sua tarefa cotidiana. Exaltada por vozes que escuta começa a conversar com um cadáver que espera autópsia, até que manipula este corpo dando vida aos diferentes personagens de sua vida recente. Adair, a faxineira constrói uma relação de violência com o corpo que por momentos representa sua irmã. Assim, o espetáculo transita pelo cômico e pelo dramático. Abordando o tema da morte e dos afetos a partir da exploração do risco físico que é experimentado na cena.

A encenação está construída a partir de um processo de pesquisa na experimentação das técnicas do ator. Os atores que estão em cena desenvolvem um trabalho voltado para o jogo corporal. E o cenário reproduz, com realismo, uma sala de um necrotério.

Women’s é uma remontagem do texto Women’s white long sleeve sport shirts do argentino Daniel Veronese sob direção de André Carreira. O título em inglês se refere ao fato de que a personagem principal diz encontrar na porta de sua casa caixas de roupas importadas com este rótulo em inglês.

Este espetáculo foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz de 2009 e recebeu prêmios também nos dois festivais em que foi apresentado: Festival Nacional de Blumenau (Prêmio Melhor espetáculo, Melhor direção, Melhor atriz) e no Festival Nacional Isnard Azevedo (Melhor atriz e Melhor iluminação).

O Grupo (E)xperiência Subterrânea tem concentrado seu trabalhando no estudo dos elementos de risco físico na cena teatral e na construção de procedimentos expressivos/criativos do ator. Os espetáculos têm o foco no risco e as fronteiras da interpretação, por diversas vezes este tipo de trabalho implica na realização de espetáculos de ruptura com as regras fixas do espaço à italiana. Com essa orientação, o grupo vem se constituindo como uma referência de pesquisa de linguagem no contexto catarinense.

Em Alagoas farão duas apresentações dentro da I Livre Conferência de Teatro. Na programação participam também com a demonstração de trabalho técnico Corpo, risco e interpretação por estados e a palestra Teatro de grupo e processos criativos.

Produção Local:  Cia do Chapéu

82-8844.1340 (Pablo), 8818.9736 (Fabrício)

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Manifesto por Incentivo à Cultura em Alagoas

MANIFESTO POR INCENTIVO À CULTURA EM ALAGOAS
ALAGOAS: TERRA SEM LEI
Único estado do Nordeste que não possui nenhuma lei ou mecanismos de incentivo à cultura.
A EXPRESSÃO AUDIOVISUAL ALAGOANA É UMA MANIFESTAÇÃO DE NOSSAS IDENTIDADES. É espaço de reflexão do nosso passado para entender o presente e imaginar-projetar futuros.
A despeito de todas as dificuldades, nossa produção tem avançado nos últimos anos. Porém, esse avanço deve-se muito ao esforço pessoal de cineastas na tentativa de produzir filmes sem recursos e até mesmo formação técnica necessária para os profissionais do cinema.
Alagoas é o único estado do Nordeste brasileiro que não possui lei ou mecanismos de incentivo à cultura em nenhuma das suas expressões artísticas e esferas governamentais. Na mesma situação está Maceió em relação às demais capitais da região, que através de editais e fundos de cultura municipais e estaduais deram grande impulso e projeção nacional e internacional à produção audiovisual de estados como Pernambuco, Ceará e Paraíba. Nossos vizinhos, os Pernambucanos, produzem mais de 10 longas-metragens e 20 curtas por ano através de editais de fomento do governo estadual.
Temos que evoluir da política de balcão e pires na mão para a construção de uma real política pública que garanta de forma justa os recursos financeiros suficientes para a produção de cultura com esmero técnico e qualidade. Os cineastas de Alagoas querem fazer cinema sem terem que sair de sua terra pela falta de cursos de formação e recursos para concretizar sua capacidade criativa.
Os prêmios conquistados, os editais nacionais ganhos e a boa acolhida de produções alagoanas em outras partes do Brasil deixam claro que o que nos falta não é talento. Falta mesmo é fomento, apoio e incentivo para que a produção cultural de Alagoas cresça em quantidade e qualidade. Temos quase tudo para chegar lá, mas dependemos da consciência dos governantes, gestores e legisladores da importância do audiovisual e demais expressões artísticas para a construção e afirmação da cultura e identidade alagoana no cenário nacional.
O Cineclube Ideário convida a sociedade civil e artistas alagoanos e brasileiros de todos os segmentos artísticos para unirem forças na Campanha por um mecanismo de Incentivo à Cultura no Estado de Alagoas.
Se não recebeu esse manifesto por email deixe um comentário que enviamos a lista de assinaturas para você adicionar a sua.
Etiquetado , , , , , , , , , , , ,

Isolamento Maceió Limitada – IML

Isolamento Maceió Limitada

Somos uma das poucas capitais brasileiras que não possuí leis de incentivo a cultura nem na esfera municipal e nem na esfera estadual. Ficamos a mercê unicamente da Lei Rouanet, competindo com os demais grupos de todo o Brasil. Para que nossas artes e nossos movimentos culturais não morram venham nos ajudar nesse ato público:
IML
ISOLAMENTO MACEIÓ LIMITADA
DIA: 27 DE MARÇO
HORÁRIO: 11 HORAS DA MANHÃ
LOCAL: EM FRENTE À IGREJA DO LIVRAMENTO – CENTRO
AÇÃO A SER REALIZADA: Pessoas vestidas de preto deitadas no chão como um amontoado de corpos. (sugestão: levar papelão para deitar em cima, o chão pode estar quente do sol)
CONTAMOS COM VOCÊS!
INFORMAÇÕES: 9969-4365 e 88651722
Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,

Fora do Eixo

Foi um longo fim de semana.

Aula da pós na sexta a noite e no sábado o dia todo. Corujão, chatinho, morgadinho, mas pelo menos o domingo terminou bem.

Pois então a Popfuzz records está de parabéns. Parabéns desde o Maionese, e por todas as edições e pelos eventos que fez em paralelo e pelos que começa a fazer nessa nova fase.

Parabéns por ter topado esse desafio de fazer parte de um coletivo de coletivos, e de encarar uma turnê pelo Nordeste.

By Larissa Lisboa

Fora do Eixo no The Jungle

Quem diria que seria uma ótima combinação, rs Ainda mais num domingo, rs Contudo havia uma vibe colaborativa predominante que ficava perceptível para os bons observadores. Era uma mistura de albergue com mini casa de show, com direito até a sala de imprensa.  Haviam sofás, sala com DJ, mesas e cadeiras e um espaço vazio antes do “palco” que não custou a ficar lotado.  O espaço ao ar livre foi essencial para curtir ainda mais o que estava por vir.

Infelizmente eu só fiquei até metade do show, mas achei muito bacana a apresentação de Cross the Breeze (AL) e Burro Morto (PB), necessariamente nessa ordem.  Especialmente ao ouvir Burro Morto eu fiquei com uma vontade louca de saber avaliar melhor as qualidades musicais deles para poder expressar o tão maravilhada que fiquei, contudo não sei dimensionar, rs e Não dúvido que as outras bandas Macaco Bong (MT) e Porcas Borboletas (MG), foram arrasadoras pois as opinões que ouvi alegaram isso unanimamente.

Resta ouvir no myspace ou no Mais Retorno.

http://www.gcast.com/user/maisretorno/podcast/main

http://www.myspace.com/macacobong

http://www.myspace.com/burromorto

Se você acha que eles não estão no pique, fique sabendo que já tem show com outras bandas no dia 18, isso mesmo depois de amanhã.

Café Kancun. Rock com as Bandas: Renegades of punk (SE),  Dad fucked and the mad skunks e Morra tentando. Dia 18 de dezembro às 18h no Café Kancun (próximo a praça do skate). Realização: Fora do Eixo, Popfuzz e FVM Produções Independentes.

By Larissa Lisboa

Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,

Fim de semana no SESI BRASIL – parte 1

Cine Sesi – Pajuçara. Maceió-AL

Sábado 28/11/2009

às 16h (Reprise)  Patativa do Assaré: Avé Poesia, de Rosemberg Cariry

Cearense, poeta, homem simples e batalhador. Se não surgiu em sua mente ao ler estas características o nome desse brasileiro é porque você precisa conhecê-lo. E uma oportunidade para isso é este documentário realizado por Rosemberg Cariry.
Citando a sinopse do material de divulgação do cine SESI “Patativa do Assaré é síntese do saber popular versus o saber erudito.” O saber de Patativa homem de verso, prosa, luta e da terra é transpassado em seu reconhecimento histórico, erudito,público e popular. Patativa é louvado, cantado, estudado, e recebe até  legendas que serve até de artifício para os que não entendem a linguagem popular deste poeta.

às 17h30  Siri-Ará, de Rosemberg Cariry

Um épico europeu que tem como personagens os guerreiros do reisado e os índios da banda de pífanos que cruzam o sertão deste nosso Brasil. Este auto do sertão, com reisado e banda de pífanos é uma aventura muito da arretada.

A história é registrada por Cioran, um mestiço brasileiro que retorna ao seu país depois de anos exilado na França e resolve vagar pelo sertão.  E por ser épico europeu acrescenta-se o requinte da narração em francês da ex-mulher de Cioran.

É um imaginário que fica nordestinamente encantado na seca e aridez do sertão.  Os guerreiros do reisado com bonitas roupas, cheias de brilho e cores, querem conquistar o sertão e combater os índios da banda de pífanos vestidos como sertanejos.

às 19h10  Moscou, de Eduardo Coutinho

Inacabado é a palavra. Não nos é apresentado um documentário sem fim.

Moscou é uma cidade,  As Três Irmãs uma peça inacabada.

Tudo começa com um galpão, um grupo de atores, uma equipe de filmagem e uma proposta, montar a peça inacabada As Três Irmãs de Anton Tchekcov, em três semanas.

O documentário, a peça, os atores, as irmãs, as lembranças dos personagens ou dos atores. As vivências de construção de uma  obra inacabada, que continuará inacabada e que não terá estréia como peça, mas aqui teve como  documentário.

 

Lembrando que a Mostra SESI BRASIL vai até o dia 04 de dezembro. Não Perca, não é todo dia que você pode ver o Brasil de tantas maneiras e tão perto de você.

Confira a programação: http://www.centroculturalsesi.com.br

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , ,